Detesto que me roubem a solidão sem me dar em troca verdadeiramente companhia. (Friedrich Nietzsche).

sábado, 24 de dezembro de 2011

Mini conto de Natal



Li e reli a cartinha escrita com letra redondinha de caderno de caligrafia ao Papai Noel. Sim, estava tudo lá: minha obediência, minhas notas, meu respeito aos meus pais, minha cama arrumada, minhas tarefas, muitos agradecimentos,  e, por último,  o meu pedido de Natal. Agora era só deixar o envelope debaixo da pequena árvore artificial com algodão por cima, imitando neve...,  e ir dormir.
Minha mãe sempre me disse que o Papai Noel só vem se a gente estiver dormindo de verdade (diga isso para minha ansiedade, mamãe...).
Deitei-me e virei para o canto, fechei os olhos com força, precisava dormir, contei  luzinhas de pisca pisca,  eu tinha que dormir, logo, para chegar logo o dia seguinte mais esperado dos dias seguintes.

Eu nunca consegui dormir de verdade nas vésperas de Natal.






Video: Cena de "Meninas Malvadas"

4 comentários:

  1. Oi filhota... Que milagre de natal... rs
    Que bom que vc gostou. Obrigada

    Te amo!

    beijos.

    ResponderExcluir

Costumo responder aos comentários aqui no blog. Todas as opiniões são bem vindas, e importantes. Gosto de saber das pessoas o que pensam, o que sentem, o que gostam. Você que lê e prefere não se manifestar, quem sabe um dia volte para me dizer algo. Não tenho pressa, eu espero.

Divagar é preciso...