Detesto que me roubem a solidão sem me dar em troca verdadeiramente companhia. (Friedrich Nietzsche).

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Não estou nem aqui. Só que não...




Madrugada, uma insônia daquelas... que só os insones conhecem, e entendem. Resolvi vir aqui dar uma satisfação da minha vida.

Praticamente abandonei este blog, e abandonei meu blog de Edgar Allan Poe, só não deixei de amar Poe. Isso por uma fase da minha vida, mais uma fase da minha vida, estou vivendo um momento que considero especialmente importante, que preciso viver, momento de transições na vida profissional e de acontecimentos inesperados no campo sentimental...
Meus pensamentos estão voltados para esse momento, não consigo me concentrar em mais nada, e ter um blog é ter uma vida paralela, considerando a interação, que é de extrema importância e valia, e o respeito e a reciprocidade a quem nos lê, e assim a gente tem que se dividir, e neste momento não estou podendo me dividir tanto, e se a gente insiste em se dividir tanto, termina por não dar nada de si. Mas... os momentos passam, ou não seriam momentos...
Decidi escrever o que estou escrevendo pelas estatísticas e, principalmente, pelos que vêm até aqui, incondicionalmente, falar comigo, comentar algo, falar de si, mostrar seus pensamentos e sentimentos, deixar sua lembrança e seu carinho. Agradeço muito a vocês, não imaginam o quanto. 

Verinha, eu também vi O Corvo numa dessas madrugadas, e pelo que me disse e quando disse, vimos "juntas". Foi seu comentário, foi você se lembrar de mim ao ver o filme que inspirou este texto.

Eu volto com o blog de Poe. Volto com este blog também, mais assiduamente, e volto com os comentários nos blogs que gosto e muito.
Volto sim, no meu tempo, e numa coisa de cada vez.


Beijo e meu carinho sincero a todos.








18 comentários:

  1. É, Ligéia. Tem momentos da vida que nos chamam e precisamos atender a esse chamado. Para quem gosta de blogar de verdade, sabe que é uma interação, uma troca...eu me sinto mal quando posto mas não tenho tempo de visitar os amigos, então o blog acaba sendo sacrificado. Mas a vida, essa tem que ser a prioridade.
    Espero que o que lhe chama sejam coisas boas, profissional e emocionalmente falando.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia, é exatamente como você disse, também me sinto super mal quando posto e não comento, principalmente quando alguém comenta o que postei.
      Estou procurando trabalho e isso me toma a mente de uma forma que não consigo me inspirar para escrever, mesmo minha criatividade fica comprometida, pela preocupação de estar sem trabalho, e minha mente fica bagunçada, penso várias coisas ao mesmo tempo... Não é bom.

      Muito obrigada, Bia.

      um beijo

      Excluir
  2. Um abraço.
    Viver o seu tempo é essencial, acho até que é uma arte.
    Bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Ana Paula, é uma arte que eu não domino muito bem, rs... Viver pra mim já tem sido uma arte (ainda vou explicar isso aqui).

      um beijo, e obrigada.

      Excluir
  3. Que bom recuperar as ideias.
    Eu não tinha visto ainda que um blogger é uma vida paralela. De fato é mesmo. rsrsrsr
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Janice, lendo o comentário da Jan (acho que ela é sua xará... rs), eu me toquei de que não é bem isso de "paralelo", é , na verdade, uma atividade a mais, paralela no sentido de ser uma convivência virtual, Ah, sei lá... rs. Tomara que tenha dado pra entender... :(


      beijos!!! ;)

      Excluir
  4. Ligéia fiquei emocionada com seu post,cheguei a ficar arrepiada, vimos o filme ao mesmo tempo? Coisas que não tem explicações acontecem, porem se minha sintonia te trouxe de volta fico muito feliz. Tem horas que precisamos de um tempinho só nosso, para nos analisarmos e colocar tudo quase que em ordem principalmente nosso coração.
    Adorei sua atitude, que sua volta lhe traga muitas coisinhas boas e felizes.
    Dias de muita paz e muito amor. Beijinhos.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo indica que sim, Verinha, vimos o filme ao mesmo tempo. Eu achei isso uma coincidência muito grande, rs, e qdo li, me deu vontade de vir aqui explicar a minha ausência. Tem pessoas que acham que não há necessidade disso, eu chego a achar também, mas qdo a gente vê que vêem nos ler mesmo a gente estando ausente, vem uma necessidade enorme de se explicar. Bom, comigo funciona assim.

      Muito obrigada , Verinha.

      Dias de paz para você também.

      um beijo.

      Excluir
    2. Também sou assim Ligéia, não saberia ficar ausente sem uma explicação, ainda mais que você é uma pessoa incrível e sempre tão querida em seus comentários e não tem como não se preocupar quando fica ausente por muito tempo. O legal é que todos entendem e mesmo assim vão deixando um carinho.Foi assim quando fiquei alguns messes afastada. E pode ter certeza que fazes falta.
      Como Bob Marley escreveu:
      "Não viva para que a sua presença seja notada,
      mas para que a sua falta seja sentida..."
      Beijinhos amiga.
      Maravilhoso fim de semana.

      Excluir
    3. Poxa, Verinha, fiquei sem jeito... Obrigada de verdade. Você que é muito delicada e atenciosa. Obrigada mesmo, de coração.

      Volto logo. Não aguento de saudades daqui, é sério, rs.

      beijão pra você. ;)

      Excluir
  5. Oi Ligéia!
    Tudo o que vc escreveu vai contra o que vc diz sobre um blog... não creio que seja uma vida paralela... é uma pequena parte da sua vida. Talvez este seja um momento em que vc deva dar mais atenção à sua vida profissional e sentimental...
    Tome o tempo que quiser, a blogosfera espera, mas eu não sou "paralela";-)
    Num dia qualquer, podemos nos encontrar.

    Abração
    Jan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jan, qdo li seu comentário percebi que não fui muito feliz em falar em vida paralela, que me expressei de forma errada, na verdade, o que eu quis dizer e não soube, talvez devido à hora rs, é que ter um blog é uma atividade séria, que requer responsabilidade, pois estamos "diante" de pessoas, e de pessoas que nos lêem e que de maneira alguma são "paralelas". Realmente o termo "paralela" remete a algo meio sem importância, como se todos fossemos só "avatares", só que não... rs, é o que vc disse, é exatamente o contrário do que eu queria transmitir. Sim, podemos nos encontrar a qualquer momento da vida, e eu adoraria te encontrar e tomarmos um café, rs.

      Obrigada, Jan.

      um beijo.

      Excluir
  6. São tantas coisas que passam pela nossa cabeça, que acabam atrapalhando nosso sono. Também tenho insônia durante a madrugada. Eu deito e durmo, depois acordo e demoro a dormir de novo. Fico pensando nos problemas da vida, e você já viu que de madrugada tudo parece mais complicado? Ainda bem que amanhece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sei como é isso, Gilberto, antes acontecia isso comigo, agora tenho insonia mesmo, passo noites em claro, e você tem certa razão, muitos pensamentos...
      E de madrugada as coisas ficam mais complicadas, sim, é verdade.

      Enfim, é assim...

      um abração, Gilberto.


      Excluir
  7. oi Ligeia, venha quando der...quando quiser...quando se sentir no clima. just it. o blog, como tudo o que devemos buscar, é para trazer alegria. sem cobrança. bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moisellemad, muito legal, obrigada. I'll come back soon!

      see ya!

      beijos!

      Excluir
  8. Esperaremos!

    Todos têm o seu tempo. Respeitamos isso.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Turismóloga! Quero voltar logo.

      um beijão.

      Excluir

Costumo responder aos comentários aqui no blog. Todas as opiniões são bem vindas, e importantes. Gosto de saber das pessoas o que pensam, o que sentem, o que gostam. Você que lê e prefere não se manifestar, quem sabe um dia volte para me dizer algo. Não tenho pressa, eu espero.

Divagar é preciso...